“O Brasil vai voltar a crescer muito e esse crescimento vai depender de instituições como o Inmetro!” Carlos da Costa

0
454

O Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa, recebido pelas boas-vindas da Presidente do Inmetro, iniciou sua fala agradecendo a presença dos servidores que vêm se dedicando à instituição.

Dando o tom que o Governo Federal espera do Inmetro, informou que se empenhará para conseguir mais recursos para a Autarquia. Adicionalmente, garantiu que haverá muito mais direcionamento estratégico e, em contrapartida, o Inmetro será muito mais demandado, em razão de ser visto como um órgão fundamental para o crescimento do país.

Em seguida, explicou como foi a reestruturação dos ministérios, que culminou com a criação do Ministério da Economia, fundindo de várias áreas de negócio, anteriormente descoordenadas, e que hoje estão estruturadas para atuar simbioticamente numa só estrutura para atender a missão dada pelo Presidente Bolsonaro que é atender as necessidades prioritárias da sociedade que são:

  • aumentar a geração de empregos;
  • melhorar a competitividade da indústria nacional;
  • melhorar a qualificação do produto agregado produzido pelos trabalhadores brasileiros que atualmente em valor agregado, produzem aproximadamente 1/4 do valor produzido pelos trabalhadores norte-americanos.  

Nessa reorganização, o Inmetro está diretamente ligado à Secretaria Especial de Produtividade Emprego e Competitividade – SEPEC, do Ministério da Economia.

O Secretário Especial afirmou que o foco principal desse ministério de grande porte “é fazer o Brasil se desenvolver, crescer, ser próspero, gerar emprego, gerar renda para a nossa população, que possui mais de 23 milhões de desempregados ou que trabalham no subemprego. ”

Durante sua fala, mencionou várias situações em que se deve adotar boas práticas de gestão no serviço público, muitas das quais também foram abordadas na fala da Presidente do Inmetro, no dia 28/1. Especificamente sobre o Inmetro, ressaltou que “é uma instituição superrespeitada (…), porque, talvez seja uma das marcas mais valiosas do Governo”. Ressaltou que confiança, padrões, rastreabilidade (que fazem parte do portfólio de atuação do Inmetro) têm muito valor no mundo moderno e, ressaltou a importância dos servidores buscarem novas soluções inovadoras para atender as necessidades da sociedade brasileira, face a crise que se instalou no país.

Carlos da Costa exemplificou algumas atividades do Inmetro como instrumentos para alavancar a competitividade do país. Vislumbrando um caminho extraordinário para o Inmetro, passando por estratégia, inovação, modelo de negócio, investimento, com capacidade de viabilizar um país mais produtivo e mais competitivo.

Ratificou que tem a certeza que Ângela Flores Furtado é a melhor Presidente para o Inmetro, ressaltando que o Presidente da República exigiu que recebessem missão desse porte, somente os melhores profissionais, e que o Inmetro estava possivelmente mal direcionado.

Lembrou que essa escolha foi técnica, mas exaltou o compromisso com a ética e a democracia.

Convidou a equipe do Inmetro a defender suas posições técnicas perante o Governo, dentro da teoria da tríade impossível dos três “Rs”: “Riscos, Resultados e Recursos”, onde o Inmetro deve apresentar otimização a respeito da utilização de seus recursos e apresentar seus resultados de forma sustentável dentro deste equilíbrio, de forma a justificar a sociedade brasileira que elegeu o novo governo, a necessidade de se aportar recursos a retomar seu espaço. 

Finalizou, afirmando que tem confiança total na Presidente do Inmetro e que o Inmetro novamente estava possivelmente mal direcionado e que confia na própria Autarquia e no trabalho de excelência de seus servidores. Somando-se a isso, pontuou que há a necessidade de um direcionamento novo, claro, moderno, efetivo e que dê orgulho a todos e ressalte o valor da marca Inmetro.

ASMETRO-SN 31/01/2019

Secretário Carlos Da Costa visita campus do Inmetro

O Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Da Costa, conheceu, nesta quarta-feira (30/1), as instalações do Inmetro no Campus de Laboratórios, em Xerém. Esta foi a primeira visita do secretário à autarquia, vinculada à sua pasta, que integra a estrutura do Ministério da Economia. Recebido pela presidente do Instituto, Angela Flores Furtado, o secretário apresentou a estrutura e a missão da Sepec ao corpo funcional. Na sequência, visitou alguns dos laboratórios preparados para oferecer soluções ao setor produtivo.

“O Inmetro é uma instituição respeitável, uma das marcas mais valiosas do Governo hoje. Traz nela confiança, um conceito de enorme valor no mundo moderno, assim como padrões e rastreabilidade”, afirmou o Secretário, ressaltando que produtividade e competitividade estão diretamente relacionadas às atividades do Instituto.

Ao abordar a sofisticação da produção e os avanços tecnológicos, Carlos Da Costa destacou que o mundo do futuro será marcado pela intagibilidade e citou que 75% do valor das 500 empresas mais valiosas dos Estados Unidos (S&P 500) são intangíveis.

“O intangível não é facilmente verificável. Em áreas como a cibersegurança, quanto maior a dificuldade em se aferir a incerteza, maior a necessidade de confiança”, disse. “Isso aumenta a relevância do Inmetro e viabiliza outros modelos de negócio para a Instituição”.

Ao se dirigir ao corpo funcional sobre a escolha da presidente Angela Flores Furtado para o cargo, o Secretário destacou que a indicação atendeu a rigorosos critérios técnicos, uma demanda da sociedade.

“Temos um caminho extraordinário para o Inmetro, que passa por estratégia, inovação, modelos de negócio e investimento”, disse. “Precisamos, agora, de um direcionamento novo, claro, moderno e efetivo, para que essa marca continue orgulhando a todos. Tenho confiança total em vocês e na presidente Angela”.

À tarde, a presidente Angela Flores Furtado e Claudio Vilar Furtado, indicado para presidir o INPI, foram apresentados à imprensa pelo Secretário Carlos Da Costa.

Visita aos laboratórios

Após sua apresentação, Carlos da Costa esteve no Laboratório de Análise Orgânica, da Divisão de Metrologia Química e Térmica, onde conheceu alguns dos materiais de referência certificados (MRC) desenvolvidos pelo Inmetro. Utilizados para garantir rastreabilidade, comparabilidade e confiabilidade dos resultados de medições em química, os MRCs constituem ferramentas estratégicas para o setor produtivo e laboratórios acreditados.

Entre outros, foram apresentados MRCs para análise de emissões veiculares, usados pela indústria automotiva em ensaios de análise de gases poluentes; de gás natural; e de etanol em água, voltados para a calibração de etilômetros (bafômetros) em todo o País. O oferecimento de MRCs desenvolvidos pelo Inmetro reduz custos das empresas com importação e contribui para a competitividade e a soberania nacional.

Em seguida, Da Costa visitou o Núcleo de Laboratórios de Microscopia, um dos maiores parques de microscopia eletrônica da América Latina, onde foram apresentadas pesquisas de ponta desenvolvidas no campo da nanometrologia. Conheceu equipamentos como o microscópio eletrônico de transmissão de alta resolução Titan, capaz de realizar caracterização de materiais na escala atômica.

Centro de excelência para estudo do grafeno, o Inmetro vem atuando para apoiar a indústria nacional no desenvolvimento de novos produtos à base do material. Estudos em nanotecnologia conduzidos em parceria com o setor produtivo nos segmentos têxtil, de cosméticos, farmacêutica e de petróleo e gás também foram apresentados.

Fonte: Inmetro 31/01/2019

 

Secretário Especial Carlos Da Costa participa de reunião no INPI

Crédito da imagem: INPI

O secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Da Costa, participou nesta quarta-feira, dia 30/01, de uma reunião no INPI para discutir estratégias de curto e médio prazo para o Instituto.

A reunião contou com a participação do presidente do INPI, Luiz Otávio Pimentel, dos diretores e também de Cláudio Vilar Furtado, indicado para assumir a Presidência do Instituto.

Durante o evento no INPI, o secretário Especial também atendeu à imprensa, ao lado de Cláudio Vilar Furtado, Luiz Otávio Pimentel e de Ângela Flores Furtado (nova presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro).

Fonte: INPI 31/01/2019

Secretário diz que prioridade do governo é a geração de emprego

A prioridade da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia é a geração de empregos, disse ontem (30), no Rio de Janeiro, o secretário Carlos da Costa. Ele considera inaceitável que o Brasil tenha mais de 26 milhões de pessoas em “situação trágica de falta de emprego”.Costa disse que também é prioridade recuperar e avançar na produtividade nacional. Segundo ele, o Brasil tem hoje 23% da produtividade média de um trabalhador americano, depois de ter 40% na década de 1980. “Nós vamos recuperar isso nos próximos anos”, prometeu.Em termos de competitividade, de acordo com Costa, o Brasil também vai mal, e tem piorado no ranking mundial de negócios. “Estamos atrás de mais de 100 países. É uma vergonha”.A recuperação da competitividade exigirá, segundo o secretário, a redução do Custo Brasil e a melhoria substancial nos indicadores de emprego e produtividade. “Não há, entretanto, metas em termos de prazo para que essas recuperações sejam atingidas”, disse.

Subsídios

Em relação aos subsídios, Costa disse que, como alavanca, “foi muito ruim”. Segundo ele, o governo federal quer inverter a lógica de que subsídios são uma tentativa de dar possibilidade de sobrevivência para muitas empresas brasileiras, “porque não ataca as raízes do problema”.

O secretário adiantou que não serão concedidos novos subsídios. “Nossa decisão, que será anunciada nas próximas semanas, são medidas que destravem os setores produtivos como um todo, não só a indústria. O objetivo é esse: tornar o subsídio desnecessário. Senão, você cria uma relação de dependência das empresas aos subsídios”.

Costa anunciou que o país terá um Plano Nacional de Qualificação, usando a inteligência artificial, que agirá como um grande destravador de todos os setores que dependem de mão de obra qualificada. Ele informou que o Ministério da Economia está trabalhando junto com os setores produtivos para identificar os principais entraves ao seu desenvolvimento.

Agência Brasil de Notícias 31/01/2019

https://youtu.be/sXbcI-OMYAA

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!