Projetos na Câmara dos Deputados e o Inmetro

0
345

Projeto visa garantir segurança de baterias de bicicletas, patins e skates elétricos.

Projeto autoriza consumidor a instalar eliminador de ar nas tubulações de água

Projeto autoriza consumidor a instalar eliminador de ar nas tubulações de água

Objetivo é evitar cobranças indevidas na conta de água pela passagem de ar no encanamento

O Projeto de Lei 4862/20 faculta ao consumidor residencial ou comercial a instalação de equipamento eliminador de ar na tubulação que antecede os hidrômetros no sistema de abastecimento de água. Conforme o texto, o aparelho deverá ser certificado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e, para sua instalação, deverá ser solicitada anuência da companhia de saneamento local.

A proposta é do deputado Deuzinho Filho (Republicanos-CE) e tramita na Câmara dos Deputados. O parlamentar aponta a cobrança do consumidor de gastos inexistentes em razão da passagem de ar pela tubulação.

“Os consumidores reclamam que não sai uma gota das torneiras, mas o hidrômetro continua girando e marcando um gasto que não existe. Conclui-se que os consumidores estão pagando pelo ar que passa pelo encanamento”, observa Deuzinho Filho.

Ainda pelo projeto, infratores serão punidos com base no Código de Defesa do Consumidor, que prevê multa e até interdição de estabelecimento entre as sanções.


Projeto visa garantir segurança de baterias de bicicletas, patins e skates elétricos.

O Projeto de Lei 4872/20 visa garantir a  segurança de baterias utilizadas em bicicletas e patins elétricos e nos chamados hoverboards (skates elétricos).

O texto em análise na Câmara dos Deputados prevê que a comercialização no mercado nacional dessas baterias – importadas ou produzidas nacionalmente –  estará sujeita à certificação que garanta a sua segurança contra explosões ou danos à saúde do usuário, feita pelo Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro), ou por organismo certificador por ele habilitado.

Autor do projeto, o deputado Otoni de Paula (PSC-RJ), alerta que as baterias recarregáveis que compõem o sistema de propulsão das bicicletas e patins elétricos e dos hoverboards podem causar explosões ou vazamentos que comprometam a segurança e a integridade física dos consumidores. Por isso, na visão dele, “devem fazer parte dos produtos com certificação compulsória para serem comercializados”.

Ainda segundo a proposta, a certificação deverá ser realizada conforme as normas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro). O Poder Executivo regulamentará os procedimentos, exigências e prazos para a certificação e para a concessão do selo do Inmetro.​

Agência Câmara de Notícias – 22/10/2020

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!