Inmetro deposita no INPI dois pedidos de patentes nas áreas de telecomunicações e de biotecnologia.

1
103

No intervalo de dois meses, Inmetro deposita dois pedidos de patentes no INPI 

Os depósitos são nas áreas de telecomunicações e de biotecnologia

Novas patentes depositadas pelo Inmetro

Com reconhecida importância como provedor de infraestrutura de qualidade do Brasil e relevante agente no campo das Ciências, o Inmetro depositou dois pedidos de patente no INPI nos meses de julho e setembro deste ano. As potenciais inovações são nas áreas de telecomunicações, referente à transmissão de dados; e de biotecnologia, relacionada a um composto para tratamento da leishmaniose e de micoses.

“Essas patentes em áreas tão distintas mostram a capacidade científica do Inmetro de atuar em todos os campos do conhecimento. São dois projetos com potencial inovador, capazes de contribuir de forma relevante para a indústria nacional e reforçar a importância das pesquisas do Instituto”, destaca Ana Paula Azevedo, da Divisão de Inovação Tecnológica (Ditec) do Inmetro.

Telecomunicações

O pedido registrado em julho no INPI refere-se a um método e a um sistema para a construção de sistemas de transmissão de dados de alto desempenho, com significativa redução de consumo de energia. O sistema é particularmente útil aos serviços que demandam grande volume de dados, como transmissão por satélite e por banda larga – 5G inclusive, e serviços de streaming.

“A tecnologia também permite a expansão do volume de dados transmitidos, otimizando a infraestrutura já disponível, gerando considerável economia de custos”, completa Fernando Rodrigues, pesquisador da Diretoria de Metrologia Científica e Tecnologia (Dimci) do Instituto.

Indústria farmacêutica

Outro importante desenvolvimento trazido pelo Inmetro é a criação de um composto com potencial utilização na fabricação de medicamentos para o tratamento de doenças fúngicas e parasitárias, como a leishmaniose e a Doença de Chagas. Trata-se de importante resultado, considerando que países desenvolvidos e as grandes multinacionais do setor farmacêutico não se dedicam muito a esse tipo de estudo. O composto já foi testado in vitro obtendo mais eficácia e menos toxicidade do que os tratamentos convencionais.

“A grande parte dos medicamentos apresenta significativa toxicidade, especialmente para o fígado. A ideia desse composto é oferecer uma alternativa menos tóxica e mais barata que possa ser usada tanto em humanos quanto em animais”, reforça Gonzalo Visbal, pesquisador da Diretoria de Metrologia Aplicada às Ciências da Vida (Dimav).

Outras patentes

Além desses pedidos, recentemente quatro patentes nacionais e quatro no exterior foram concedidas, tendo o Inmetro como titular, e outros 10 pedidos encontram-se em análise – seis no INPI e quatro no exterior. São projetos nas áreas das engenharias, química e física que podem ser aprovados nos próximos meses.

Entre as três cartas patentes concedidas ao Inmetro este ano pelo INPI, está a de um dispositivo para detecção de vazamento de gás subterrâneo criado em cotitularidade com a i-Dutto, empresa especializada em soluções de localização e que, até o início deste ano, estava situada na Incubadora de Projetos Tecnológicos do Inmetro. O equipamento detecta o vazamento de gás subterrâneo, por meio de comunicação wi-fi, e sem a necessidade de inspeção humana. A tecnologia tem aplicação em redes subterrâneas, podendo oferecer uma alternativa de monitoramento de vazamentos, como os que ocorreram em 2016, causando a explosão de bueiros no Centro do Rio de Janeiro.

Se você quiser saber um pouco mais sobre essas pesquisas ou queira informações de como receber o acompanhamento da proteção intelectual da sua pesquisa, procure a Ditec: ditec@inmetro.gov.br

Fonte: https://www.gov.br/inmetro/pt-br/assuntos/noticias/no-intervalo-de-dois-meses-inmetro-deposita-dois-pedidos-de-patentes-no-inpi

1 Comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!