Brasil e Argentina assinaram um acordo que prevê a criação de um GT para uniformizar as normas regulatórias para o setor automotivo.

0
524
Brasil e Argentina assinaram um acordo no dia 24 de agosto que prevê a criação de um grupo de trabalho que terá como principal objetivo uniformizar as normas regulatórias para o setor automotivo de ambas as nações.

De acordo com as informações que foram divulgadas, foi assinado um memorando de entendimentos entre Brasil e Argentina. Participaram do evento, dentre outras autoridades, os ministros do Desenvolvimento, Marcos Jorge, e pelo ministro da Produção da Argentina, Dante Enrique Sica, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. Também participou do ato o ministro de Relações Exteriores, Aloysio Ferreira Nunes.

O documento trata principalmente em relação a segurança, emissões sonoras e de gases poluentes, eficiência energética e também especificação de autopeças. A Argentina iria tornar o controle de estabilidade (ESC) obrigatório no começo deste ano para carros inéditos, mas decidiu adiar a medida para 2020, alinhando-se com o cronograma do Brasil.

O acordo prevê que o grupo trabalhe durante seis meses para chegar em acordos referentes as 31 normas diferentes relativas à segurança. Depois disso o grupo poderá avançar para os demais temas.

“O memorando vai possibilitar que as nossas equipes, de ambos os lados, já comecem os trabalhos, para que tenhamos regulamentos similares para o setor automotivo. Temos a expectativa de que, com o ambiente de negócios melhor, possamos ter mais investimentos”, declarou o ministro Marcos Jorge.

Ambos os dirigentes dos países afirmaram que este é um acordo que será muito importante para o desenvolvimento do setor automotivo em ambos os países, ajudando inclusive a eliminar barreiras entre Brasil e Argentina nos próximos anos.

Para o presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, assinatura desse acordo representa um passo importante para aprofundar mais as relações entre os dois países, principalmente no que diz respeito à integração produtiva entre as indústrias.

Crédito: Caderno Mercado/Salão do Carro – disponível na internet 27/08/2018 

 Brasil assina acordo com Argentina para uniformizar regras de produção de veículos nos dois países

Memorando que cria grupo de trabalho foi assinado em Brasília. Serão revistas normas de segurança, emissões sonoras e de gases poluentes, eficiência energética e especificação de autopeças.

Os governos brasileiro e argentino firmaram um acordo nesta sexta-feira (24) para criar um grupo de trabalho com o objetivo de harmonizar as normas regulatórias do setor automotivo nos dois países.

O memorando de entendimentos foi assinado pelos ministros do Desenvolvimento, Marcos Jorge, e pelo ministro da Produção da Argentina, Dante Enrique Sica, no Palácio do Itamaraty, em Brasília. Também participou do ato o ministro de Relações Exteriores, Aloysio Ferreira Nunes.

O documento trata, principalmente, das normas em relação a segurança, emissões sonoras e de gases poluentes, eficiência energética e especificação de autopeças.

As discussões para uniformização das regras se intensificaram no ano passado. A Argentina iria tornar o controle de estabilidade (ESC) obrigatório no começo deste ano para carros inéditos, mas decidiu adiar a medida para 2020, alinhando-se com o cronograma do Brasil.

Ministro Marcos Jorge (Indústria) fala sobre acordo com Argentina
Ministro Marcos Jorge (Indústria) fala sobre acordo com Argentina

Como vai funcionar

Inicialmente, o grupo de trabalho vai tratar, durante seis meses, das 31 normas diferentes relativas à segurança. Depois, avançará sobre os demais temas.

“O memorando vai possibilitar que as nossas equipes, de ambos os lados, já comecem os trabalhos, para que tenhamos regulamentos similares para o setor automotivo. Temos a expectativa de que, com o ambiente de negócios melhor, possamos ter mais investimentos”, declarou o ministro Marcos Jorge.

Para o ministro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes, esse memorando de entendimentos há “muito tempo” se fazia necessário.

“O objetivo é harmonização dos regulamentos da produção automotiva, inclusive de autopeças. O comércio do Brasil com a Argentina é extremamente dinâmico, sendo que a Argentina é o terceiro destino das exportações brasileiras, e nós somos o terceiro maior comprador [dos produtos argentinos]’, declarou Aloysio Nunes.

Brasil é o maior mercado dos carros produzidos na Argentina. Na foto, fábrica da Fiat em Córdoba (Foto: Divulgação)
Brasil é o maior mercado dos carros produzidos na Argentina. Na foto, fábrica da Fiat em Córdoba (Foto: Divulgação)

No setor automotivo, a Argentina é o principal destino das exportações de veículos produzidos no Brasil, ao passo que o Brasil é o maior comprador de veículos feitos no país vizinho.

O representante do governo argentino, ministro Dante Sica, disse que a convergência regulatória vai facilitar o acesso ao mercado em ambos os países.

“É um acordo muito importante para os próximos anos, para a eliminação de barreiras”, afirmou.

Para o presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, assinatura desse acordo representa um passo importante para aprofundar mais as relações entre os dois países, principalmente no que diz respeito à integração produtiva entre as indústrias.

“Esta convergência cria oportunidade para ganhos de competitividade e até mesmo de otimização de custos e investimento”, afirmou Megale

Crédito: Alexandro Martello, G1, Brasília – disponível na internet 27/08/2018

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!