Marcos Heleno Guerson de Oliveira Junior é o novo presidente do Inmetro

9
7071

Mestre em Engenharia de Transportes, Pós-Graduado em Governança Corporativa, Engenheiro de Fortificação e Construção.

Formação

  • Mestre em Engenharia de Transportes. Instituto Militar de Engenharia (IME), conclusão em 2008
  • Pós-graduado em Governança Corporativa, Fundação Getulio Vargas, 2012
  • Pós-graduando em Língua Portuguesa, Universidade Castelo Branco/RJ, conclusão em 2008
  • ● Especialização em Ciências Militares. Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, conclusão em 2010.
  • Graduado em Engenharia de Fortificação e Construção. IME, conclusão em 2000.
  • Graduado em Ciências Militares. Academia Militar das Agulhas Negras, conclusão em 1994.

Experiência

  • 2001-2002 – Engenheiro Adjunto da Seção Técnica do 8 Batalhão de Engenharia de Construção (Santarém-PA). Projetos e execução de obras de infra-estrutura de transportes com destaque para a pavimentação da BR-163 (trecho Santarém-Rurópolis), Ampliação do Aeroporto de Tefé/AM, Construção de uma Ponte de Concreto Armado sobre o rio Jatuarana (BR/163) e projeto básico e executivo de trecho de 127 km da BR-163.
  • 2003-2005 – Professor da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN). Professor do curso de Engenharia da AMAN nas matérias de Estrutura das Construções, Planejamento de Obras, Estradas, Meio Ambiente e Instalações.
  • 2008-2009/ 2011-2012– Engenheiro da Diretoria de Obras Militares do Exército Brasileiro. Departamento do Exército que planeja e fiscaliza as Obras Militares em todo território Nacional.
  • 2008-2009 – Engenheiro da Companhia de Engenharia de Força de Paz (Haiti). Obras em proveito das Forças de Paz da ONU no Haiti, destacando-se pavimentação de estradas e drenagem.
  • 2013 – Pesquisador convidado no Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA, Vicksburg, Mississippi. Pesquisas nas áreas de pavimentação e solos.
  • 2014-2015 – Instrutor e Coordenador de curso na Escola de Estado Maior do Exército, ECEME. Coordenação do curso de direção para engenheiros militares, com o foco no ciclo de vida dos materiais de emprego militar (projeto, desenvolvimento, avaliação e descarte)
  • 2016-2017 – Chefe da Comissão Regional de Obras da 1ª Região Militar. Ordenador de despesas, projeto e fiscalização de obras de engenharia de diversas naturezas (reforma de hospitais, construção de quartéis, reforma de escolas, construção de paiol de mísseis, dentre outros)
  • 2018 – Instrutor convidado na Escola de Engenheiros Militares do Exército Colombiano, Bogotá, Colômbia. Professor de Análise de estruturas, avaliação econômica de projetos e gerenciamento de projetos.
  • Jan a Out 2019 – Diretor de Política Regulatória na Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior, MEC. Responsável por formulação de marco regulatório e certificação CEBAS.
  • Out de 2019 a Fev 2020 – Diretor do Departamento de Determinantes Ambientais na Secretaria Especial de Saúde Indígena, MS. Gestão de obras de saneamento

Competências Principais

  • Planejamento Estratégico
  • Gestão de orçamento
  • Negociação
  • Liderança de equipe
  • Gerenciamento de programas, portfólios e projetos
  • Gerenciamento de crises
  • Gestão de obras de engenharia
  • Processo decisório
  • Fluente nos idiomas inglês e espanhol

PORTARIAS DE 17 DE FEVEREIRO DE 2020

MINISTÉRIO DA ECONOMIA

O MINISTRO DE ESTADO CHEFE DA CASA CIVIL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA, substituto, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto no art. 4º do Decreto nº 9.794, de 14 de maio de 2019, resolve:

Nº 51 –EXONERAR

ANGELA FLORES FURTADO do cargo de Presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro, código DAS 101.6.

Nº 52 –NOMEAR

MARCOS HELENO GUERSON DE OLIVEIRA JUNIOR, para exercer o cargo de Presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro, código DAS 101.6, ficando exonerado do cargo que atualmente ocupa.

MARCOS PAULO CARDOSO COELHO DA SILVA

Publicado no DOU do dia 17/02/2020 Edição: 33-A Seção: 2 – Extra Página: 1

9 Comentários

  1. Parabéns ao Presidente Jair Bolsonaro! Quem estiver atrapalhando o País é para ser demitido mesmo! Que o novo Presidente faça uma limpeza geral e irrestrita neste órgão !

  2. Ele deveria começar a implodir também setores que não tem haver com o INMETRO, pois fogem da competência do mesmo. O CGCRE criado para fazer acreditações de organismo de Certificação profissional privada, é um deles. A FBTS, acreditada pela CGCRE, com 200h de curso, certifica Inspetores de Soldagem para atuarem em plataforma de petróleo e Refinaria. Uma Escolas Técnicas leva no mínimo1200h para formar um técnico em mecânica, soldagem, metalúrgia e naval, que são as modalidades profissionais mais adequada ao desempenho da ocupação (Inspetor de soldagem) favorecendo um clubinho de profissionais Certificados no mercado de trabalho. Por que clubinho? Porque pagam anuidade e se submetem as exigências da FBTS e seus sócios mantenedores, para se manterem certificados.

  3. Vislumbra um novo tempo, nova concepção de um órgão essencialmente técnico, sem politicagem, que venha honrar a memória de da instituição que ajudamos a construir

  4. Parece no historico do Inmetro depois do Prof Engelhard. Cientista Alemao e o qual foi o. precursor e o idealizador da metrologia cientifica e industrial no Brasil, juntamente com o prof. Gregorio Munoz. Professor e pequisador na PUC/RJ , vem a ser nomeado presidente do Inmetro o Cel. Marcos Heleno trazendo em seu curriculum a esperanca de que o Inmetro tera a sua frente um profissional de proceder a consecucao da tao necessaria pesquisa e aplcacao da metrogia industrial no Brasil. Que Deus abencoe o novo Presidente do INMETRO.

  5. Só espero que o novo presidente tenha o bom senso de rever algumas decisões tomadas pela presidente Angela Flores, que desconfiguraram completamente o Inmetro, entre as quais o fim das divisões na Dimci. No que concerne a essa diretoria, não há como gerenciar e manter adequadamente um sistema da qualidade com tantos laboratórios atrelados a somente duas coordenações (20 e 16 laboratórios), sem falar na competição acirrada por verbas e projetos por cada laboratório, já que estarão funcionando independentemente.

Deixe um comentário para Uilson Cruz Cancelar Resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.