Reportagem sobre SUV da Toyota informa que o sistema de medição de consumo do Inmetro está desatualizado.

3
232

Novo SUV nacional da Toyota vai fazer 23 km/l na cidade

Uma fonte da Toyota informou que o novo SUV médio da marca vai mesmo se chamar Corolla Cross. Havia intenção de criar um nome próprio, para diferenciar do sedã e ampliar o público, mas o martelo foi batido no Japão: o nome Corolla Cross terá que ser mantido. A estratégia, portanto, será a mesma utilizada na Tailândia, ou seja, oferecer o carro como se fosse mesmo um Corolla, porém com a versatilidade de um SUV e com um grande apelo na economia de combustível.

Funcionários da Toyota têm varado a noite na fábrica de Sorocaba (SP) para acelerar as informações que ainda precisam ser colhidas junto ao Japão, devido ao fuso horário. Lá é a matriz e decide tudo, embora o carro seja produzido na Tailândia, que também tem um grande fuso horário em relação ao Brasil. Muita coisa já se sabe sobre o Corolla Cross, mas existem várias que ainda não foram reveladas. Veja a seguir, item por item. 

É verdade que ele fará 23 km/l na cidade? Sim, até um pouco mais. Como o carro contará com sistema de regeneração de energia, seu consumo urbano deve ser de 23,3 km/l de gasolina na cidade; com etanol será menos. O consumo é tão bom que o tanque de combustível terá apenas 36 litros.   

Porém (e este é um fato que incomoda a Toyota), o sistema de medição de consumo do Inmetro está desatualizado e não considera o ganho de consumo com o sistema de regeneração de energia. Assim, a Toyota não poderá divulgar oficialmente que o carro realmente tem essa autonomia na cidade. Não deixa de ser uma vergonha para o Inmetro e uma perda para a Toyota. 

Leia a íntegra da matériawww.terra.com.br/parceiros/guia-do-carro/novo-suv-nacional-da-toyota-vai-fazer-23-kml-na-cidade,c229ee952ccf13784ec046fe837aab5ffoh6dm8s.html

Credito: Sergio Quintanilha/Terra – @internet 28/12/2020

3 Comentários

  1. Solicito aos  dirigentes do Inmetro, que avaliem com muita atenção sobre o comentário negativo envolvendo diretamente o Inmetro, nesta matéria sobre a SUV da Toyota, pois esta matéria somada a outra também divulgada no site Asmetro do dia 26/12/2020: Dieselgate – carros fraudados pela Volkswagen, deixam de maneira transparente uma ausência de posicionamento técnico por parte Inmetro e uma aparente fragilidade para a abertura de possíveis de críticas futuras mais contundentes.
    Os dois comentários postados pelo Sr. Paulo Lyra, onde ele direciona de maneira clara o caminho técnico a ser tomado e o do Sr. Luiz Carlos Arigony destacando a necessidade do Inmetro se posicionar pela representatividade que a instituição exerce nas áreas de confiabilidade metrológica e de qualidade de produtos, junto a sociedade.

  2. O laboratório de motores do Inmetro poderia atuar com a proposta de coordenar um trabalho para avaliação de consumo de veículos híbridos baseados em normas internacionais como a ISO 23274-1:2019 Hybrid-electric road vehicles — Exhaust emissions and fuel consumption measurements.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!