“A visão de futuro do Inmetro é ser uma caixa de ferramentas de Infraestrutura de Qualidade para o setor”

0
124
@internet

Em entrevista à Abrac, Marcos Heleno Guerson de Oliveira Junior, presidente do Inmetro, fala sobre a instalação do primeiro laboratório privado para ensaios de baterias para carros elétricos do Brasil

Associação Brasileira de Avaliação da Conformidade (Abrac) entrevistou com exclusividade o presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), Marcos Heleno Guerson de Oliveira Junior, sobre a instalação do primeiro laboratório privado para ensaios de baterias para carros elétricos do Brasil.

O Memorando de Entendimento para início do projeto foi assinado pelo presidente do Inmetro no dia 13 de agosto, em Brasília (DF), ao lado o diretor dos Laboratórios Especializados em Eletroeletrônica, Calibração e Ensaios (Labelo) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Israel Teixeira e do diretor executivo da PCN, Kim Rieffel.

Oliveira Junior é engenheiro de Fortificação e Construção e mestre em Engenharia de Transportes, ambos pelo Instituto Militar de Engenharia. Tem MBA em Governança Corporativa pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e experiência com gestão em tecnologia, regulação de mercado, pesquisa científica, administração pública e educação. Atuou como diretor de Políticas Regulatórias na Secretária de Regulação e Supervisão da Educação Superior (SERES/MEC). Atualmente preside o Inmetro, autarquia federal vinculada ao Ministério da Economia.

“O Memorando de Entendimento proposto é a declaração de intenções entre o Inmetro, a PUCRS e a PCN para estimular o desenvolvimento da infraestrutura nacional da qualidade associada ao segmento de veículos elétricos, estações de cargas de veículos elétricos e itens correlatos. É o compromisso das instituições em trabalhar para viabilizar este projeto, tão importante ao País. A visão de futuro do Inmetro é ser uma caixa de ferramentas de Infraestrutura de Qualidade para o setor. Este acordo fez parte deste relevante papel do Instituto para a economia brasileira”, declarou o presidente do Inmetro.

Leia a entrevista na íntegra.

Abrac – No último dia 31 foi assinado o memorando de entendimento entre Inmetro, PUC/RS e PCN para desenvolvimento de soluções de infraestrutura da qualidade para veículos elétricos no Brasil. Como funcionará esta ação? 

Marcos Heleno Guerson de Oliveira Junior @abrac

Marcos Heleno Guerson de Oliveira Junior – Inicialmente, é importante ressaltar que a iniciativa está fundamentada no Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação. O Inmetro, como Instituição de Ciência e Tecnologia (ICT), tem o papel de promover a integração de organizações governamentais, universidades e empresas em projetos que promovam a inovação, passo considerado estratégico para o desenvolvimento econômico do país. As soluções de Infraestrutura da Qualidade são variadas. A partir do Acordo de Parceria e pontes com países que possuam nível mais avançado tecnológico no segmento, pretendemos estimular o intercâmbio de conhecimento e o desenvolvimento da infraestrutura nacional da qualidade para veículos elétricos, estações de cargas de veículos elétricos e itens correlatos – no que tange a aspectos de regulação; normalização; investimento para construção de infraestrutura física e importação de equipamentos que viabilizem a realização de calibração e ensaios; metrologia científica; acreditação; capacitação de pessoal; e de atividades de vigilância de mercado, que garantirão a segurança da sociedade brasileira, aspecto que sob nosso ponto de vista também integra o escopo do presente memorando.

Abrac – Após a assinatura do memorando quais serão os próximos passos do Inmetro e como será a participação dos laboratórios e Organismos de Certificação?

Marcos Heleno Guerson de Oliveira Junior – Estamos trabalhando fundamentalmente em duas frentes: a primeira compreende as atividades de prospecção dos investimentos necessários. O interesse do Governo Federal em desenvolver a infraestrutura nacional da qualidade para este segmento é o principal argumento da PCN junto às partes potencialmente interessadas em financiar o projeto. Serão realizadas rodadas de negociação, nos meses de setembro, outubro e novembro de 2021, as quais, conforme projeção, culminarão na consolidação das atividades que objetivam o fund rising. Na segunda linha de atuação, e paralelamente, trabalharemos junto à Procuradoria Federal do Inmetro na estruturação do acordo de parceria, que fundamentará a base jurídica dos desdobramentos, principalmente no que tange à concessão da área do campus do Inmetro em Xerém (RJ) para instalação do laboratório. 

Abrac – Entre as ações previstas do desenvolvimento de soluções de infraestrutura da qualidade para veículos elétricos no Brasil estão o estabelecimento de requisitos para baterias e a implantação do primeiro laboratório privado para ensaios destes produtos no País. Como se dará esta implementação?

Marcos Heleno Guerson de Oliveira Junior – Trata-se de uma iniciativa que ilustra a tríplice hélice da inovação, em que Governo, representado pelo Inmetro, universidade (PUC-RS) e setor produtivo (PCN) terão suas atribuições no projeto. Cabe ao Inmetro ceder espaço no Campus de Laboratórios; treinar especialistas para manter a rastreabilidade; desenvolver requisitos e programa de acreditação; apoiar a normalização nacional ou regional, em alinhamento com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e Cooperação Interamericana de Acreditação (IAAC). Ao PCN cabe fazer a ponte com potenciais investidores; divulgar o projeto com base nos argumentos alinhados junto ao Governo Federal, organizar rodadas de negociação e, concluída estas etapas, contribuir com a evolução das atividades correlatas aos tópicos de normalização e desenvolvimento dos esquemas de certificação. O papel do Labelo/PUCRS será o de gerenciar o fundo arrecadado, construir o laboratório, importar equipamentos necessários, desenvolver sistema de gerenciamento da qualidade passível de acreditação, capacitar mão de obra, e, por fim, manejar a operação dos ensaios. Conforme cronograma alinhado entre as partes, a ideia é que o laboratório inicie suas atividades em 2023.

Abrac – Além da importância da iniciativa para o mercado interno, que até 2035 deverá ser composto em sua maioria por veículos híbridos e elétricos, o Brasil será pioneiro na América Latina no estabelecimento dos requisitos para este tipo de produto, podendo exportar tecnologia e conhecimento aos países vizinhos. Qual a importância para o País em atuar com este protagonismo?

Marcos Heleno Guerson de Oliveira Junior – Algumas projeções indicam que em 15 anos, mais de 60% da frota brasileira será de veículos elétricos ou híbridos. A partir disso, surge a importância de robustecermos a infraestrutura da qualidade do País neste segmento. Temos capacidade técnica para contribuir para o desenvolvimento de requisitos de segurança, pois a alta temperatura e o risco de incêndio são entraves da tecnologia, além de aprimorar técnicas já experimentadas de qualidade e autonomia. Estarmos à frente dessa iniciativa é um marco para o País. Trabalharemos em uma área estratégica, com alto valor agregado para o setor automotivo, permitindo nossa participação nas discussões com os países desenvolvidos no mesmo nível de conhecimento, exercendo através do pioneirismo, uma forte liderança na América Latina. Já o consumidor brasileiro terá muito mais segurança nas vias públicas com os carros elétricos utilizando as baterias ensaiadas neste laboratório. 

Abrac – O primeiro laboratório privado para ensaios de baterias para carros elétricos do Brasil será no Campus de Inovação e Metrologia do Inmetro, um parque tecnológico em Duque de Caxias/RJ, que abriga 57 laboratórios de alta tecnologia. Quando os trabalhos serão iniciados e quais são as expectativas para o segmento de avaliação da conformidade? 

Marcos Heleno Guerson de Oliveira Junior – O laboratório deverá entrar em operação em 2023. Dada a vanguarda da matéria no cenário latino-americano, os avanços em normalização, metrologia e acreditação serão certamente expansíveis a países da região. Para o segmento de Avaliação da Conformidade é uma grande oportunidade, pois com a operação do laboratório, requisitos de segurança e desempenho serão elaborados, permitindo a execução de alguns serviços de avaliação da conformidade, sejam de ensaios ou de certificação.

Crédito: Abrac – @internet 10/09/2021

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!