Covid-19 na Europa: “Pandemia dos não vacinados”

0
184
OMS diz que Europa está novamente no 'epicentro' da pandemia | Foto: GETTY IMAGES

“Pandemia dos não vacinados” na Europa preocupa Fiocruz

Boletim aponta que 60% da população brasileira está com esquema vacinal completo, porcentagem inferior a países como Alemanha e Áustria

Diante do aumento no número de casos e mortes na Alemanha, França, Dinamarca e Áustria, especialistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) veem com preocupação o cenário da Covid-19 na Europa.

Na edição desta semana do boletim do Observatório da Covid-19, divulgado nesta quarta-feira (17), os pesquisadores destacam que a maioria das internações são de pessoas que não se vacinaram contra o vírus.

Para a Fiocruz, o retorno das medidas restritivas em diversos locais da Europa é preocupante e a instituição faz um alerta para a necessidade da população aderir à imunização. 

A atual situação dos países europeus é chamada pelos pesquisadores de “pandemia dos não vacinados”.Isso porque o aumento do número de mortes e casos do coronavírus é registrado, principalmente, em regiões onde a cobertura vacinal não está progredindo.

O Boletim aponta que, atualmente, o Brasil tem cerca de 60% da população com esquema vacinal completo, com estimativa de 1,15 óbitos por 1 milhão de habitantes.

“Considerando que a pandemia não acabou e que o vírus segue circulando, é motivo de atenção o fato de 40% da população estar sem esquema vacinal completo, em um contexto de maior circulação de pessoas nas ruas”, afirmam os especialistas.

Enquanto isso, países como Lituânia, Áustria e Alemanha apresentam percentuais maiores da população vacinada, de 65,2%, 63,7% e 67%, respectivamente. Contudo, eles enfrentam uma nova alta de internações, além do crescimento no indicador de óbitos por milhão de habitantes.

No momento, o indicador da Alemanha está em 2,23 mortes por 1 milhão de habitantes, o da Áustria em 4 e o da Lituânia em 10,62, segundo o monitor Our World In Data, especializado em dados analíticos.

O Boletim aponta que a situação no Brasil ainda é de queda dos indicadores, como casos confirmados, mortes e ocupação de leitos na rede pública.

Para que o cenário siga positivo, os pesquisadores afirmam que é necessário estratégias mais efetivas de vacinação contra o vírus. Entre elas, a exigência do passaporte sanitário em ambientes fechados e campanhas incentivadoras.

Outro alerta feito pelos pesquisadores é sobre a ausência de distanciamento físico entre os brasileiros, tanto nos transportes públicos quanto em atividades de lazer. Desde julho, a circulação de pessoas nas ruas é maior que no período pré-pandemia e pode ser ainda mais intensificada com a chegada das festas de fim de ano.

Casos e mortes

Entre os dias 7 a 13 de novembro houve um ligeiro aumento dos valores de indicadores de transmissão, com uma média diária de 11,4 mil casos confirmados e 260 mortes.

O número representa um aumento de 1,9% casos por dia e de 1,2% de óbitos em relação a semana anterior.

Crédito: Mylena Guedes, sob supervisão de Isabelle Resende/ CNN – @ddisponível na internet 18/11/2021

Saiba mais 

  • Fiocruz – Boletim Extraordinário do Observatório Covid-19 – 17 de novembro

    boletim_extraordinario_2021-novembro-17

Nota: O presente artigo não traduz a opinião do ASMETRO-SN. Sua publicação tem o propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.