Congresso aprova o reajuste de 9% dos servidores públicos federais. Carlos Magno, diretor do ASMETRO-SI, assinou o Termo de Acordo 01/23

25
4795

Congresso autoriza recursos no Orçamento para reajuste de servidores do Executivo

Parlamentares aprovaram nesta quarta-feira (26) o Projeto de Lei do Congresso (PLN) 2/23, que autoriza no Orçamento da União os recursos necessários para a concessão de reajuste aos servidores públicos federais, do Poder Executivo, a partir de 1º de maio deste ano. O texto vai à sanção.

Os servidores do Executivo federal vão ter os salários reajustados, de forma linear, em 9%. O auxílio-alimentação teve aumento de 43,6%, equivalente a R$ 200, passando dos atuais R$ 458 para R$ 658. O PLN, foi aprovado na terça-feira (25) pela Comissão Mista de Orçamento (CMO), com relatoria do senador Marcelo Castro (MDB-PI).

Os valores constantes na Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2023 precisarão ser aumentados em R$ 176 milhões no exercício, e em R$ 280 milhões nos anos seguintes para viabilizar essa concessão.

“Nesta sessão, depois de seis anos, nós reajustamos o salário dos servidores públicos em mais de 9%”, comemorou o líder do governo no Congresso, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

O deputado Guilherme Boulos (Psol-SP) também apoiou a aprovação do projeto, ao afirmar que “sem servidor público valorizado, não tem serviço público de qualidade”.

O deputado Jorge Solla (PT-BA) destacou ainda a perda do poder de compra dos servidores sem reajustes nos últimos anos. “Em pouco tempo, em 100 dias de governo, o presidente Lula conseguiu uma grande negociação, reunindo todos os sindicatos dos servidores federais, e esse reajuste precisa hoje aqui ser incorporado no Orçamento”.

Agência Câmara de Notícias 26/04/2023


Assinado o Termo do Acordo n° 1/2023 com entidades sindicais sobre reajuste salarial para os servidores públicos. Carlos Magno de Souza, Diretor Social do ASMETRO-SI participou da cerimônia.

asmetro.org.br/portalsn/2023/03/25/assista-a-cerimonia-de-assinatura-do-termo-do-acordo-n-1-2023-com-entidades-representativas-dos-servidores-federais/

Carlos Magno – Diretor do ASMETRO-SI assina o Termo de Acordo 01/23

25 Comentários

  1. Por mais que a abelha explique à mosca que a flor é melhor que o lixo, a mosca não a entenderá porque Cada um vive na sua verdade

  2. Foi recorde nos ultimos 47 anos uma gestao de governo nao reajustar salario dos servidores do executivo federal. Isto só aconteceu no governo recem-findo. Isto se classifica como falta de sensatez. Pois os servidores publicos do executivo federal jamais serao responsaveis pelo desequilibrio fiscal da maquina publica federal.

  3. Todos sabemos , que não houve aumento, por um consenso dos três poderes, qdo houve a pandemia . Bolsonaro já tinha falado que ia dar o nosso aumento. Parem de achar que o Lula foi o salvador, que não foi coisa nenhuma .

  4. Valeu Lula, muitos anos a ver navios. No governo passado so houve promessa de 5%, que nunca aconteceu, o ministro da fazenda, Paulo Guedes falou até que servidores públicos são preguiçosos. Enfim Lula veio pra colocar ordem na casa. Obrigada

    • O Guedes teve uma fala desastrada e de chula qdo negou o reajuste aos servidores e se vangloriou do feito. Fato mostrado amplamente em video da reunião presidencial.
      Os servidores do Inmetro só passaram a ser valorizados na gestão do PT, por maior que fosse o esforço em demonstrar a importância da normalização, da metrologia e da qualidade nunca houve valorização dos serviços prestados.

      Um governo que busca o progresso reconhece a importância da tecnologia e ciência.

  5. Ninguém lembra dos praças das FFAA, mais uma vez sacrificados.
    Enquanto entupiram os generais de aumentos, aumentaram nossos descontos e agora dizem que os militares já tiveram aumento.
    Não tivemos, assim como os civis que estão sendo beneficiados agora.(merecidos)
    Servi no verdadeiro EXERCITO por 30 anos, de 1969 a maio de 1998.
    Nós existimos, somos guerreiros, temos famílias e também somos seres humanos, precisamos nos alimentar, vestir, comprar remédios, etc…! Hoje com 73 anos , inválido , por acidente na Região Amazônica em 1997, na ativa , sem direito ao previsto em lei, e a 5 anos sem um reajuste, sem remédios e necessidade de alimentos.
    Condenados por um crime que não cometemos.
    Condenados por servir a Pátria e ao povo Brasileiro de Norte a Sul e Sudeste, em várias armas, Infantaria, Cavalaria, Intendência, Logística e na GLORIOSA INFANTARIA DE “SELVA”Amazônica.
    Que País é esse…..em que somos invisíveis…?

  6. Pessoal , sem fanátismo, justiça seja feito Bolsonaro já deixou esse recurso no orçamento para esse aumento, agora vamos ver séculos vai incluir na LOA de 2024 um reajuste para repor a as perdas desse período

    • Foi recorde nos ultimos 47 anos uma gestao de governo nao reajustar salario dos servidores do executivo federal. Isto só aconteceu no governo recem-findo. Isto se classifica como falta de sensatez. Pois os servidores publicos do executivo federal jamais serao responsaveis pelo desequilibrio fiscal da maquina publica federal.

  7. Parabéns Sérgio Ballerini, Carlos Magno, Marcelo, Demais Diretores, Funcionários, Colaboradores e o Confia do Nosso Asmetro-SI, por Essa Vitória, de Após 06 Anos de Luta, Contra o Congelamento dos Nossos Salários nos Governos ( 02 Anos de Temer e 04 de Bolsonaro), Conseguirem Esse Aumento Linear de 9 por Cento e R$ 200,00 no Auxílio Refeição.

    Agora é o Nosso Asmetro-SI, Continuar Negociando, com Apoio do Condsef e Outras Lideranças Sindicais, junto ao MGI, MDIC,
    Câmara e Senado, para que na LOA-2024, já Conste Uma Verba para o Pagamento de Nossos Salários Em 2024 já com o Futuro
    Aumento a Ser Negociado pelo Nosso Asmetro-SI.

    Oliveira.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!