“A gente sabe que a negociação nem sempre vai ser o que a categoria quer, nem sempre é o que o governo propõe inicialmente”

7
212
@reprodução blog denise /cb

Governo tenta conciliar reajustes de servidores, diz ministra

Dificuldade para obter recursos pode levar a melhoria em benefícios

A ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, afirmou, nesta terça-feira (9), que o governo federal tem feito um esforço para conciliar os reajustes dos servidores com outras demandas de recursos.

@rovena rosa/agncia brasil

“A gente sabe que a negociação nem sempre vai ser o que a categoria quer, nem sempre é o que o governo propõe inicialmente”, disse a ministra, ao visitar um condomínio gerido por movimentos de moradia na capital paulista.

Esther Dweck destacou que se trata de um processo demorado, para o qual espera “uma conclusão bastante frutífera”.

A ministra ressaltou que existe uma disputa pelo orçamento público e que, além de recuperar o poder de compra dos funcionários públicos, o governo tem trabalhado para recompor os recursos para outras áreas que ficaram defasadas ao longo dos últimos anos.

“Esta foi uma das primeiras medidas: reestruturação do Bolsa Família. E isso, obviamente, consome uma parte do orçamento, restituir os mínimos condicionais de saúde e educação, isso foi algo extremamente importante”, enfatizou.

De acordo com Esther Dweck, a área técnica do ministério tem trabalhado para apresentar propostas às categorias que têm reivindicado negociações. “Não tem nenhuma mesa [de negociação] parada. Às vezes, demora a nossa resposta, mas não quer dizer que, internamente, não estejamos trabalhando. Nossa área que faz isso é pequena, exige uma mão de obra extremamente qualificada, que conheça cada categoria para ver o que de fato é interessante, como melhorar aquela categoria”, afirmou.

Diante da dificuldade de obter recursos para promover reajustes, a ministra disse que o governo propôs melhorias em benefícios, como os auxílios alimentação e creche. “Não é aumento de salário, ninguém está confundindo benefícios com remuneração, mas foi uma maneira de pegarmos o orçamento deste ano, que estava impactado pelos 9%”[de reajuste concedido aos servidores a partir de maio] do ano passado.”

Desde a semana passada, diversas carreiras do serviço público federal têm feito paralisações e iniciado greves reivindicando aumento na remuneração. 

Agência Brasil de Notícias 10/4/2024

7 Comentários

  1. Acordem !!!
    Enquanto o (des)governo continuar gastando mais do que arrecada, nunca vão sobrar “recursos” para dar uma esmola para o servidores.

    • Pelo menos foi concedido algum aumento no ano passado e proposta de aumento de auxílios este ano, após quatro anos ou mais sem nada nos governos anteriores.

  2. Esther Dweck, tenho acompanhado , foi servidora pública , e é para mim” the best” o que ela puder fazer fará , terá sempre o meu voto! Agora as forças contrárias às suas reinvidicavoes : são muitas! Parabéns ministra!!!!!!

    • “A pedido da ministra da Gestão, Esther Dweck, a Junta de Execução Orçamentária (JEO) se reuniu nesta quarta a fim de discutir o espaço para reajustes aos servidores até 2028.”
      DOIS MIL E VINTE E OITO.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!