Conheça a carreira de cientista de dados: o que faz, como se preparar e quanto ganha?

0
85
@ reprodução internet

O que faz um cientista de dados? Como é o dia a dia do trabalho e quanto ganha? Com a quantidade de dados disponível hoje em dia, é necessário haver um profissional capaz de analisá-los de forma inteligente e detectar padrões lógicos neles.

O cientista de dados é um profissional especialista em entender os dados, possuindo habilidades técnicas para resolver problemas complexos e identificar tendências a partir das informações extraídas.

O que faz um cientista de dados?

A carreira é uma das mais requisitadas atualmente, e as perspectivas são promissoras.

Segundo Pedro Brocaldi, especialista em tecnologia e professor de ciência de dados da Ebac (Escola Britânica de Artes Criativas e Tecnologia), o cientista de dados trabalha focado em três principais processos: coleta, armazenamento e transformação dos dados em visões.

“A primeira é a parte técnica de extração e armazenamento dos dados para ter uma melhor performance. E a segunda parte é trabalhar na análise e geração de insights para garantir que ele tenha sempre o melhor resultado”, explica.

Cientistas de dados são responsáveis por:

  • Resolver problemas
  • Ajudar na tomada de decisão a partir de dados brutos que nem sempre são úteis e que são muitas vezes volumosos e complexos
  • Organizar e analisar essas informações de forma que as torne aproveitáveis

Além disso, essa é uma profissão interdisciplinar, que não se prende a uma só área do conhecimento. O bom cientista de dados vai ter noções importantes de estatística, matemática, programação, administração e negócios, por exemplo.

Qual a diferença entre analista e cientista de dados?

Enquanto o analista de dados se concentra principalmente na interpretação e apresentação de dados, usando ferramentas e técnicas para relatórios, o cientista de dados vai além, realizando análises complexas, desenvolvendo modelos preditivos e criando soluções de aprendizado de máquina para resolver problemas de negócios.

Quanto ganha um cientista de dados?

A remuneração de um cientista de dados, em nível intermediário, pode chegar a R$ 18.700 ao mês, aponta um estudo da consultoria Robert Half divulgado no fim de 2023. Para líderes, chega a R$ 24.100.

Segundo o site Glassdoor, um cientista de dados ganha no Brasil, em média, salário de R$ 9.681. Se ele for um profissional sênior, mas sem cargo de chefia, o salário passa de R$ 14 mil. O levantamento foi feito em maio de 2024.

A título de comparação, um analista de dados ganha em média R$ 5 mil. Um engenheiro de dados, R$ 9.300, conforme o Glassdoor.

Mercado de trabalho

Dentro da carreira de ciência de dados, existem várias funções e especializações possíveis, incluindo:

  • Analista de Dados: Foca na análise e interpretação de grandes volumes de dados para ajudar na tomada de decisões
  • Engenheiro de Dados: Responsável pela arquitetura, construção e manutenção de infraestruturas de dados
  • Cientista de Dados: Combina habilidades estatísticas, de programação e de negócios para extrair insights de dados complexos
  • Especialista em machine learning: Desenvolve sistemas e algoritmos que permitem que as máquinas aprendam e operem baseadas em conjuntos de dados preexistentes
  • Analista de Business Intelligence (BI): Utiliza dados para gerar insights que direcionam o negócio

Estadão conversou com profissionais da área. Veja a seguir.

Marcelo Ruas, 37 anos, cientista de dados na Stone (fintech de pagamentos)

Marcelo Ruas, 37 anos
Marcelo Ruas, 37 anos Foto: Arquivo Pessoal
Quem é o empresário que gastou US$ 20 milhões em réplica da Casa Branca, mas não pode morar lá

Há 20 anos, Marcelo entrou na faculdade de ciência da computação, quando ainda nem se falava na profissão de cientista de dados. Na metade do curso, percebeu que não se identificava com o que estava estudando e passou a estudar engenharia de produção, em que se formou.

Fez mestrado em economia aplicada, e começou a trabalhar com estatística e gostar do tema, decidindo fazer um doutorado na área. Durante todo seu processo de estudo, foi ganhando interesse e enxergando um potencial na área de ciência de dados, até finalmente atuar como cientista. “Durante os meus estudos, fui encontrando uma área de que eu gostava. Agora estou bem satisfeito, acho que é uma área superlegal que está evoluindo muito”.

Para quem quer seguir na área, eu aconselharia fazer uma formação sólida, não pode tirar o olho dessa formação nas coisas mais básicas. Também existem muitos cursos online, uma quantidade infinita de material disponível com coisas de muita qualidade. E sempre ficar ligado nas tecnologias, porque é uma área que evolui muito – Marcelo Ruas
 
Diogo Padilha, 28 anos, cientista de dados na YouData (terceirização de TI)
Diogo Padilha, 28 anos
Diogo Padilha, 28 anos Foto: Arquivo pessoal
Diogo é cientista de dados há 6 anos. Começou sua trajetória profissional se formando em engenharia de computação. Durante a participação em eventos de tecnologia, as notícias de salários altos de cientistas de dados chamaram sua atenção, o que foi um atrativo no final de sua graduação.

”Eu fiz o meu TCC voltado para a área de ciência de dados e já pensando também em sair lá do interior do Rio e vir para São Paulo trabalhar em uma startup”, conta.

Hoje o mercado de ciência de dados está bem diferente, existe mestrado, pós-graduação, principalmente na área de inteligência artificial – Diogo Padilha
 
 
Catarina Zidde, 28 anos, cientista de dados na Gupy (plataforma de soluções para RH)
Catarina Zidde, 28 anos
Catarina Zidde, 28 anos Foto: Arquivo Pessoal

Por meio de sua graduação e mestrado em estatística, a carioca começou sua carreira como cientista de dados na TV Globo, em 2019.

Para Zidde, um cientista da área deve ser capaz de fazer uma análise exploratória de dados, além de conhecer as principais linguagens de programação do dia a dia.

Não tenha medo da matemática. Na minha opinião, é uma área que é uma intercessão entre matemática e computação, não tem muito como fugir dela. Um curso formal da parte de probabilidade, estatística e matemática pode ajudar muito – Catarina Zidde

Como se qualificar para a profissão?

 

Para se tornar um cientista de dados, é fundamental uma base educacional sólida em áreas como matemática, estatística ou ciência da computação.

Além de experiência prática, por meio de estágios e projetos, mantendo-se atualizado com as tendências em constante evolução da área.

Brocaldi afirma que é importante saber duas linguagens de programação, a SQL, que é um banco de dados relacional, e Python.

“Ele tem que ter o conhecimento de pelo menos uma dessas duas, mas olhando tendência de mercado e vagas, Python é prioridade”, afirma.

Em conjunto com as graduações que preparam mais diretamente para a profissão, cursos profissionalizantes e cursos de linguagens de programação também são um bom caminho.

Confira abaixo algumas opções:

CURSOS PAGOS

Duração: conteúdo livre por 24 meses  – Valor: R$ 3.450 – Modalidade: online 
 
  • Ebac Online   

Duração: 10 meses – Valor: R$ 6.328,56 – Modalidade: online

  • Alura

Duração: 98 horas – Valor: R$1.308 à R$1.788 – Modalidade: online

CURSOS GRATUITOS

  • Coursera

Duração: 2 meses com 10 horas por semana – Modalidade: online

  • FGV online

Duração: 60 horas – Modalidade: online

Crédito:  Amanda Fuzita / Sua Carreira no O estado de São Paulo – @ disponível na internet 24/5/2024

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!