A escalada do preço dos combustíveis e as recentes escolhas da política do setor de petróleo.

0
332

Nos últimos 30 dias, a Petrobras reajustou o preço da gasolina e do diesel nas refinarias
16 vezes. O preço da gasolina saiu de R$ 1,74 e chegou a R$ 2,09, alta de 20%. Já o do diesel foi de R$ 2,00 a R$ 2,37, aumento de 18%. Para o consumidor final, os preços médios nas bombas de combustíveis subiram de R$ 3,40 para R$ 5,00, no caso do litro de gasolina (crescimento de 47%), e de R$ 2,89 para R$ 4,00, para o litro do óleo diesel (alta de 38,4%).
Em atos e interdições de rodovias pelo país, o movimento que envolve caminhoneiros
questiona, entre outros assuntos, a escalada nos preços dos combustíveis, principalmente no do óleo diesel.
O transporte de cargas no Brasil depende fortemente do modal rodoviário. Em poucos
dias de interdições, os impactos já são sentidos em várias cidades. A população sente dificuldade para obter combustíveis e começa a perceber problemas para o acesso a outros produtos, principalmente alimentícios. A mobilidade das pessoas e a prestação de diversos serviços foram afetadas.
Por que os preços de derivados de petróleo estão subindo tanto no Brasil?

Leia a íntegra da Nota Técnica do DIEESE 194 de maio de 2018 >>>  notaTec194PrecosCombustiveis

Artigo publicado na página do DIEESE – disponível na internet 29/05/2018

Nota: O presente artigo não traduz a opinião do ASMETRO-SN. Sua publicação tem o propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.