Funcionalismo vai recorrer ao STF se reforma administrativa passar

0
209
A proposta de emenda constitucional (PEC) da reforma administrativa nem sequer chegou ao Congresso Nacional, mas o funcionalismo já pensa em judicializar alguns itens caso o texto seja aprovado.
Representantes das categorias do setor público federal ponderam que a PEC não foi apresentada oficialmente, e que é preciso esperar o seu desfecho.
Mas, assim como fizeram em relação à Reforma da Previdência, pretendem questionar algumas medidas do projeto de reestruturação do RH do país em ação no Supremo Tribunal Federal (STF), como o fim da estabilidade no cargo.

Há pelo menos cinco ações no Supremo, movidas por entidades representativas de servidores públicos, que discutem a progressividade da alíquota de contribuição previdenciária — prevista para o funcionalismo da União.

A nova tabela (prevendo contribuições progressivas de acordo com a faixa salarial, alcançando o percentual máximo de 22%) foi estabelecida pela Reforma da Previdência, e passará a valer a partir de abril, quando serão pagos os vencimentos referentes ao mês de março.

As categorias do funcionalismo vão tentar de todas as formas barrar essa tabela, considerando que a medida fere princípios constitucionais. Para representantes do serviço público, esse entendimento se aplicará também para a discussão do fim da estabilidade, previsto pela reforma administrativa.

Fim da estabilidade

O fim da estabilidade para servidores é um ponto defendido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e que estará previsto na reforma. No entanto, Guedes e o presidente Jair Bolsonaro já declararam que a medida alcançará apenas novos funcionários, e não quem já ingressou no setor público.

Os próprios governistas consideram também que seria quebra de direito adquirido, e que essa mudança não valeria, pois seria facilmente derrubada por decisão judicial.

Crédito: Paloma Savedra/O Dia – disponível na internet 22/01/2020

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!