“O Maior Lucro Social do MJSP é que as ações de enfrentamento à violência voltam como projetos que garantem um Brasil mais seguro e justo”: Ministro Anderson Gustavo Torres

0
89

“O Maior lucro social do MJSP é que as ações de enfrentamento à violência voltam como projetos que garantem um Brasil mais seguro e justo”: Ministro Anderson Gustavo Torres

“O maior lucro social do Ministério da Justiça e Segurança Pública é que as ações de enfrentamento à violência voltam como projetos que garantem um Brasil mais seguro e justo”, afirmou o ministro titular da pasta, Anderson Gustavo Torres, em entrevista exclusiva para o portal da Associação dos Servidores do Inmetro (Asmetro-SI), que realizou nesta quarta-feira (11/5) a 1ª Webinar sobre Lucro Social como Ferramenta de Transparência, Negociação e Gestão, no Rio de Janeiro.

O ministro mostrou com números o fundamental trabalho de combate à criminalidade que o Ministério tem realizado em prol da sociedade. “Com o duro confronto à criminalidade e a escalada de recursos, conseguimos reduzir em 7% as mortes violentas no Brasil”, afirmou. E enfatizou: “Garantimos a vida!”.

OPERAÇÃO HÓRUS – PREJUÍZO AOS CRIMINOSOS

O ministro destacou ações de grande relevância para toda a população brasileira, como a “Operação Hórus”, de combate ao crime organizado e repressão aos delitos transnacionais, que já causou prejuízo aos criminosos de mais de R$ 5,6 bilhões.

Coordenada pelo Ministério, a “Operação Hórus”, chega ao terceiro ano com investimentos que ultrapassam a cifra dos R$ 270,9 milhões. O ministro informou que é um trabalho integrado que movimenta mais de 1000 operadores de segurança por dia.

“O trabalho integrado impediu um rombo de R$ 762 milhões na arrecadação de impostos, tirando de circulação mercadorias falsas e ilegais. Assim, garantiu que os cofres públicos arrecadassem quase três vezes do valor investido”, destacou o ministro. E completou: “Os bens dos bandidos são alienados pelo MJSP e os lucros da venda retornam em recursos para as operações das forças de segurança, em estruturação das polícias, investimentos no sistema penitenciário e em políticas antidrogas e na recuperação de dependentes”. 

“Todo bem vindo do crime organizado é leiloado e encaminhado a Fundos nacionais que garantem ações de segurança pública, como o Fundo Nacional Antidrogas (FUNAD), Fundo Penitenciário Nacional (FUNPEN) e Fundo para Aparelhamento e Operacionalização das Atividades-fim da Polícia Federal (Funapol), que financia operações da Polícia Federal (PF) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF)”, finalizou.

Assessoria de Comunicação Social MJSP e Tânia Malheiros da Assessoria de Imprensa  do Asmetro -SI  – 12/05/2022

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.