Unimed-Rio impõe reajuste de 13,1% no contrato do IBBCA/ASMETRO-SI. Associação insiste no reajuste ZERO

4
353
ibbca unimed
Ao Presidente da Associação dos Servidores do Inmetro – Asmetro, Sr. Sérgio Ballerini

IBBCA Comunicado de reajuste anual | ASMETRO julho/2022

Como já é do conhecimento de V.S.ª, o contrato de plano de saúde da Asmetro é coletivo e possui reajuste anual.

Mantendo a postura de transparência que norteia esta administração, informamos que Julho é o mês de reajuste do nosso contrato.

A aplicação desta adequação financeira visa garantir o equilíbrio econômico-financeiro do plano coletivo, dando continuidade à boa prestação de assistência médica hospitalar a todos os associados.

Sendo assim, informamos que o índice inicial proposto pela Unimed Rio foi de 14,77%, no entanto, após negociação foi aprovado o índice de 13,10%, o qual passará a vigorar a partir de julho/2022.

Reafirmamos a satisfação pela confiança depositada na prestação de nossos serviços e aproveitamos para renovar o compromisso de um atendimento de qualidade, proximidade e sucesso.

Colocamo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos.

Beatriz  Souza – Relacionamento Corporativo do IBBCA

Comunicado de reajuste ASMETRO 2022

 

Duque de Caxias, 06 de junho de 2022.                        024-2022-OF-ASMETRO-PR.

Claudio Póvoa – Presidência do IBBCA – Administradora de Benefícios

Cópias: Fernando Bispo e Alberto Guimarães – IBBCA / Cintia de Miranda Moura, Claudio Martins Dias e Maria Carmem Lobo Estellita – CVM / Tami Veloso e Vanda Brandão – INPI

Assunto: Reajuste de 13.1% imposto pela Unimed-Rio

Prezados Senhores

Acusamos o recebimento da carta do IBBCA comunicando o reajuste de nosso contrato em 13,1% a partir de julho de 2022.Este reajuste não coaduna com os índices e tabelas que a operadora Unimed-Rio pratica atualmente para outras entidades congêneres, conforme apontamos em nossa correspondência do dia 18/04/2022 (OF 19)

Lembramos que a conjugação de esforços que ensejou na possibilidade de adesão dos servidores do ASMETRO-SN, INPI e CVM ao plano IBBCA/UNIMED-Rio completará 15 (quinze) anos de expressivos resultados positivos, que, no momento, assiste 2130 vidas dentre titulares, dependentes e elegíveis com acesso aos planos de saúde oferecidos pela UNIMED-Rio.

Apesar dos satisfatórios índices de sinistralidade (60,37%) consolidados no último ano e do consistente equilíbrio econômico-financeiro da carteira o nosso pleito de reajuste ZERO foi ignorado pela UNIMED-RIO

Como informamos na correspondência OF 019 o nosso pleito para o reajuste ZERO decorre em razão dos seguintes fatores, já expressos em 2021 e agravados diante do atual cenário econômico para os servidores federais em 2022     

O último reajuste salarial concedido pela União aos servidores federais ocorreu em 2017 (5,17%) e o benefício de participação per capita patronal no plano de saúde permanece congelado desde janeiro de 2017, fatos que impactam severamente na capacidade econômica dos usuários;

Há que se considerar a crescente dificuldade econômico-financeira dos servidores para se manterem no plano, diante dos reajustes aplicados nos cinco últimos anos, ante à total estagnação da renda dos titulares e forte elevação do custo de vida no citado período;

Por derradeiro, solicitamos que a UNIMED-RIO reavalie o índice de reajuste e observe todos os itens de nosso contrato

Atenciosamente

Sérgio Ballerini – Representante do Grupo Gestor de Saúde Complementar do ASMETRO-SN, CVM e INPI / Contrato 15153

OF 024

 

ASMETRO-SI notifica extrajudicalmente a QUALIVIDA >>>notificação extrajudicial LGPD (1)

QUALIVIDA envia contra notificação >>> Contranotificação QVxASMETRO

4 Comentários

  1. Existem outras empresas concorrentes do IBBCA que podem ser consultadas pela Asmetro existindo a possibilidade de ser apresentada condições melhores para os sindicalizados, inclusive quanto a disponibilização da categoria Personal que não é mais ofertada pela IBBCA. Sugiro consultar a QV e a Qualicorp.

  2. Acho que ainda há tempo de se negociar. Durante todos esses anos, sempre tivemos reajustes bem acima da inflação e dessa vez estamos percebendo a mesma postura. Sugiro endurecermos um pouco esse jogo, afinal, são mais de 2000 vidas cobertas por ela. Será que esse nº de pessoas não faria falta em sua carteira. É incrível, sempre prevalece a vontade dela. Poderíamos, quem sabe, de alguma forma, fazer uma reunião e tentar buscar uma solução para o assunto em pauta. Aceitar sempre, por imposição, é mto ruim.

Deixe um comentário para Carlos Henrique da Silva Ribeiro Cancelar Resposta

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.