Adiada a reunião da Mesa Nacional de Negociação

15
1884
@reprodução

——– Mensagem original ——–

Assunto:: Adiamento da reunião do dia 07/03/2023
Data: 06/03/2023 14:24
De: DERET/SGP/MPDG <sgp.deret@economia.gov.br>
Para:: asmetro@asmetro.org.br
Prezadas(os)
 
Informamos o adiamento da reunião marcada para 07/03/2023, considerando que ainda em avaliação a contraproposta apresenta pelas entidades sindicais na reunião do dia 28-02-2023.
 
Brevemente, entraremos em contato comunicando a nova data.
 
Reafirmamos o real interesse e expectativa desta Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho -SEGRT para que este processo seja concluído o mais breve possível.
 

Atenciosamente,

Departamento de Relações de Trabalho – DERET
Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho
sgp.deret@economia.gov.br
(61) 2020-1230
gov.br/gestao

MGI adia reunião e diz seguir analisando contraproposta de reajuste a servidores

Em mensagem às entidades que representam funcionalismo, Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho cancela reunião nessa terça, 7, e reafirma “real interesse” para que “processo seja concluído o mais breve possível”. Categoria tem pressa

O governo decidiu adiar, mais uma vez, a apresentação de uma contraproposta à reivindicação de reajuste emergencial dos servidores públicos federais. A reunião entre representantes do Fonacate e Fonasefe com o secretário de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho do Ministério de Gestão e Inovação no Serviço Público, Sérgio Mendonça, estava marcada para terça-feira, 7 de março. Não foi estabelecida uma nova data. “Brevemente, entraremos em contato comunicando a nova data. Reafirmamos o real interesse e expectativa desta Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho -SEGRT para que este processo seja concluído o mais breve possível”, diz trecho de mensagem enviada às entidades representativas do funcionalismo. Há sete anos com salários congelados, a categoria tem pressa.

A primeira proposta formalizada pelo governo foi um percentual de reajuste de 7,8% a partir de março e um aumento de R$200 no auxílio alimentação, o que representa pouco mais de 43% no valor atual do benefício, o mais defasado entre os Três Poderes. Na segunda rodada de negociações com o Ministério de Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI), o Fonacate apresentou uma contraproposta de 13,5%, além da busca por equiparação do valor do auxílio-alimentação entre Executivo, Legislativo e Judiciário. Já o Fonasefe, do qual a Condsef/Fenadsef faz parte, manteve na mesa a proposta de reajuste emergencial apresentada de 26,94%, que representa perdas salariais dos 4 anos de governo Bolsonaro.

O Fonasefe também solicitou, além de reposição no auxílio-alimentação, considerar os demais benefícios, como por exemplo, o aumento da contrapartida paga pelo governo nos planos de saúde. Hoje, servidores arcam com pelo menos 70% desse total enquanto governo entra com 30% apenas. Essa proposta inclui ativos, aposentados e pensionistas, diferente de auxílio-alimentação que contemplaria apenas servidores ativos. Vale destacar que há uma diferença primordial entre as propostas de reajuste emergencial e reposição nos benefícios já que para a última não há obrigatoriedade de considerar valores previstos no orçamento, por se tratarem de verbas de custeio. 

Outras reivindicações sem impactos orçamentários foram feitas, incluindo a revogação de uma série de atos administrativos que causam prejuízos tanto aos servidores como à administração pública. Vale lembrar que na última reunião com o MGI, o secretário de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho, Sérgio Mendonça, esclareceu e confirmou que o percentual de reajuste que for apresentado pelo governo aos servidores ativos, aposentados e pensionistas da Lei 8.112/90 será aplicado na remuneração total da categoria.

“Aguardamos a formalização da proposta para que o mais rápido possível possamos encaminhar e remeter a decisão da maioria dos servidores da base que é soberana”, aponta o secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva. Sérgio lembra que nesse momento a participação da categoria será de extrema importância. “Quem participa das assembleias é quem define o que será acatado ou rejeitado na proposta que virá do governo. A participação de todos, portanto, é importantíssima”, pontua.

Condsef/Fenadsef 07/03/2023

O governo havia ficado de responder aos pleitos dos servidores na última sexta-feira (3/3) e adiou para essa terça-feira (7/3), mas voltou a adiar as negociações e deixar 1.2 milhão de servidores (ativo e aposentado) sem resposta.

O governo alega que ainda não terminou de avaliar a proposta dos trabalhadores e que tem disposição de diálogo, para concluir o mais rápido possível as negociações…

Infelizmente parece que voltaram às velhas táticas de enrolação, já postas em prática no passado por Sérgio Mendonça e que são conhecidas por todo o movimento sindical dos servidores, pois o governo sabe da pressão da base por um acordo, a luz das perdas salariais dos últimos anos.

Temos que endurecer a fala com o governo para obter conquistas imediatas, sem nos curvar a práticas procrastinatórias que tentam colocar os trabalhadores contra a parede!

Nem um passo atrás, nem um direito a menos!

#sindiseprj #naluta #servidores #reajusteja – https://www.instagram.com/p/CpdcYfqJTJd/?igshid=MDJmNzVkMjY=

SINDISEPRJ 07/03/2023

15 Comentários

  1. É E cada vez que aumenta o salário minimo o nosso diminui fecha logo só esta aumentan as perdas legeslativo e judiciário ja estao recebendo estao esperando MAIS o que UFAAAAA !!!!

  2. Gente, cadê a nossa força? Sabemos que o EXECUTIVO é composto de Servidores que mais trabalham duro… Pra custear os altos salários dos políticos, Legislativo e Judiciário… E, também, das propinas que alguns recebem… Aí, pra nós, Servidores do EXECUTIVO, cabe pagar as contas arranjadas por Eles.

  3. O aumento emergencial está virando piada. Que Deus os ilumine para que descidam e batam o martelo, pois após 43 anos e 8 meses de serviço público, e 6 anos sem aumento, acho que mereço consideração, pelos menos.

  4. Tem que parar com essa história de negociação e dá o reajuste ou um ou dois ou três ou quatro é cinco ficar sem reajuste mais um mês não dá mais vocês estão abusando estão brincando para não falar outro termo todos receberam reajuste menos nós do governo do poder executivo então é reajuste para ontem não tem mais negociação nenhuma o dar 5 ou 9 ou 10 o que for e mais nada e. Tem que dar.

    • Espero que este governo que aí está, não volte atrás sobre o nosso aumento que pelo que ouvir e li, que já estava td acertado para março espero que não voltem atrás por conta desta desta reunião, que já deveriam ter terminado, pois todos nós temos conhecimento da disparidade, com o EXECUTIVO, Legislativo e Judiciário, estes dois LEGISLATIVO/JUDICIÁRIO, que trabalham menos e ganham mais.
      Ticket alimentação de R$ 1.180,00 e quando pedem aumento recebem.
      Acordem governo, vcs já viram que quem estão argumentando com vcs, não são pessoas que não tinham conhecimento de causa, todos nós aqui fora já sabemos que existem orçamentos para pagar o que estamos pedindo.
      Por favor companheiros sindicalista resolva esta questão para ontem, pois nós podemos!
      O POVO UNIDO JAMAIS SERA VENCIDO!

  5. Agora já está começando oque já era esperado. Os salários dos ministros,deputados,senadores e judiciário foi fácil de se resolver. Mas o do Executivo é essa safadeza.

  6. É incrível como as coisas para servidor do executivo é difícil. O legislativo e judiciário já estão recebendo com o reajuste e a gente ainda em discussão. Deus tenha piedade de nós.

  7. Essa política enferma do nosso país que só pensam neles, não mostram nenhum interesse nas necessidades de trabalhadores que sobrevivem com um salário defazado há década. Rsposas, galinheiro, os efeitos colaterais nascem com grande velocidade.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.