Afinal, o que é precatório? Como funciona o pagamento dessas dívidas judiciais? Entenda

0
78
@internet

O que são os precatórios?

Precatórios são valores devidos pela Fazenda Pública a pessoas ou empresas em razão de condenações judiciais definitivas — para as quais não cabem mais recursos —, explica Luiz Alberto Barbará Gonzalez Filho, advogado especialista em Direito Administrativo. Ou seja, após ganhar um processo com indenização do Estado, a pessoa ou a empresa tem direito a uma indenização que é paga por meio de um processo burocrático.

Os motivos para entrar com uma ação contra o Estado são diversos, de um atropelamento por viatura de polícia a danos devidos por erro médico.

— Essa maneira de quitação é prevista na Constituição Federal, que trata do cumprimento das obrigações de pagamentos devidas pelos entes públicos — salienta.

Quando recebem os credores?

Os precatórios são emitidos pelos Tribunais e são ordenados numa fila de pagamentos, explica o advogado André Luis Moreira dos Santos. Nesta fila, os precatórios de natureza alimentar tem preferência de pagamento. Valores devidos a idosos, portadores de doença grave e pessoas com deficiência têm ainda mais prioridade na hora da liberação.

— Se o precatório tiver sido emitido até o prazo-limite de 2 de abril do ano corrente, será pago no ano subsequente, mas, se expedido após essa data, o precatório entrará somente na ordem de pagamento do outro ano — explica Santos.

Porém, alguns estados brasileiros — como Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul — têm um alto número de precatórios atrasados, o que gera atraso no pagamento dentro do prazo estabelecido pela Constituição Federal.

Qual a diferença dos precatórios para as RPVs?

As diferenças entre os precatórios e as Requisições de Pequeno Valor (RPVs) — também usadas para o pagamento de dívidas da União — dizem respeito à quantia a ser paga e à celeridade do processo. A depender da esfera — municipal, estadual ou municipal – as RPVs podem variar de 30 a 60 salários mínimos (de R$ 39.600 a R$ 79.200). O prazo de pagamento delas é de 60 dias. Os precatórios são superiores a 60 salários mínimos e demoram mais para serem quitados.

Por que servidores são maioria na fila dos precatórios?

Ao longo da vida profissional dos funcionários públicos, em decorrência de diversos fatores, o Estado não cumpre todos direitos trabalhistas previstos nos estatutos das categorias, esclarece Ricardo Monteiro, sócio do escritório Benevides & Monteiro Advogados Associados e especialista em Direito Administrativo e do Servidor Público:

— Policiais, por exemplo, raramente conseguem gozar férias em todos os anos da vida de trabalho. E eles não recebem os valores das férias até o momento da aposentadoria. Geralmente, nesses casos, os servidores entram com ação para cobrar os direitos que foram privados.

Licenças-prêmio, adicionais noturnos não pagos e recomposições salariais não concedidas também são exemplos de reivindicações na Justiça, afirma Monteiro.

— Por serem funcionários públicos, as demandas deles contra o Estado são muito grandes — finaliza.

Por que o pagamento dos precatórios está sendo discutido no STF?

A partir da Emenda Constitucional 113, de 2021 (governo do então presidente Jair Bolsonaro) ficou estabelecido um limite máximo para o pagamento de precatórios, vinculado ao teto de gastos do país vigente à época, destaca o advogado tributarista e sócio da Marpa Gestão Tributária, Eduardo Bitello. Dessa forma, parte dos precatórios tiveram os pagamentos postergados para os anos sequentes. O limite, hoje, é de aproximadamente R$ 22 bilhões.

O julgamento no STF discute o fim da limitação para o pagamento de precatórios, que giram em torno de R$ 95 bilhões até o momento, conclui Bitello.

— Com a iminência do fim do julgamento, parte dos R$ 95 bilhões será paga aos servidores públicos que já têm esses títulos emitidos, com ordens de pagamento de 2020 a 2023. Ou seja, a medida vai beneficiar as pessoas físicas e jurídicas que têm precatórios já expedidos e não pagos — explica.

Crédito: Por Gustavo Silva / EXTRA – @ disponível na internet 30/11/2023

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!