Operação Petróleo Real fiscaliza postos de combustíveis no Rio e encontra várias irregularidades

1
130
@inmetro

Petróleo Real interdita 100 bicos em postos do Rio

Durante três  dias, de terça (20) a quinta-feira (22), a Operação Petróleo Real percorreu 109  para coibir irregularidades.

 
A ação foi coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), e contou com a participação do Inmetro, Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Procon-RJ, Polícia Federal (PF), Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran/RJ) e Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ). 
 
A atuação aconteceu no Rio de Janeiro, São Gonçalo, São Pedro da Aldeia, Itaboraí, Maricá, Resende, São João de Meriti, Niterói, Cabo Frio, Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Araruama e Petrópolis. Foram fiscalizados 2.480 bicos e, destes, 100 foram interditados no total da operação. Trinta e duas bombas foram interditadas.
 
“Somente o Inmetro e seus órgãos delegados fiscalizaram mais de 220 bombas e 600 bicos de abastecimento de combustível, dos quais mais de 150 apresentaram algum tipo de irregularidade”, comentou Marcelo Pagotti, assessor da Presidência do Inmetro.
 
O Inmetro contou com o apoio de fiscais dos Institutos de Pesos e Medidas de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais e Superintendência de Goiás, além de técnicos de Metrologia Legal do próprio Instituto.
 
Na Operação foram verificadas a qualidade dos combustíveis, a validade dos produtos, a medição correta das bombas de abastecimento (volume), a regularidade da emissão de notas fiscais e a transparência na divulgação dos preços ao consumidor, além do cumprimento das normas de segurança.
 
Fonte: https://www.gov.br/inmetro/pt-br/centrais-de-conteudo/noticias/  petroleo-real-interdita-100-bicos-em-postos-do-rio – 24/09/2022

Operação Petróleo Real fiscaliza 25 postos do Rio e encontra várias irregularidades

A Operação Petróleo Real contou com o esforço de um consórcio de forças estatais durante a fiscalização contra a fraude de combustíveis no Rio

A segunda fase da Operação Petróleo Real foi realizada, nesta terça-feira (20), em vários postos de gasolina espalhados pela Região Metropolitana e pela Baixada Fluminense do Rio de Janeiro. A ação tem como finalidade fazer a verificação das condições dos combustíveis comercializados no Estado. A operação é resultado de um consórcio formado pelo Ministério da Justiça, Secretaria de Estado de Segurança Pública, – através da Secretaria Nacional de Operações Integradas -, Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), Polícia Federal (PF), Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), Agência Nacional do Petróleo (ANP), Procon/RJ, DETRAN/RJ, Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio de Janeiro (IPEM/RJ) e Polícia Militar.

Na operação, os agentes estatais visitaram 25 postos de combustíveis, onde foram verificadas várias irregularidades, entre elas: adulteração de combustíveis, fraudes eletrônicas nas bombas e fraude de quantidade de combustível medida nas bombas. Em razão dos delitos atestados alguns postos de combustível foram interditados.

Na Zona Norte da cidade, a Operação Petróleo Real também empreendeu ações fiscalizatórias relacionadas ao abastecimento de GNV, na qual um dispenser do combustível foi interditado por operar com pressão superior ao limite permitido pela ANP. Os agentes estatais também removeram 16 veículos que estavam em condições irregulares relacionadas ao kit GNV. Os veículos, que ainda estavam em condições inadequadas de circulação, foram levados para o pátio do Detran.

As autoridades estatais destacam que tais crimes lesam a receita do Estado do Rio de Janeiro, os comerciantes que operam de foram íntegra e são prejudicados pela concorrência desleal, e os consumidores, que podem sofrer graves acidentes, até mesmo a morte.

O Procon-RJ aproveita as ações da Operação Petróleo Real para fazer a atualização de preços diante da redução dos tributos.

Crédito: Patricia Lima/Diário do Rio-@disponível na internet 24/09/2022

 

1 Comentário

  1. Esse desastre com regulamentos e fiscalização, imagina deixar nas mãos desses “empresários” ? Nem sempre a regulamentação inibe o avanço, na maioria das vezes, controla os pilantras e defende o consumidor.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.