Notícias do Gabinete da Transição

0
145
O Presidente Eleito Luiz Inacio Lula da Silva durante Entrevista no CCBB. @ Antonio Cruz/Agência Brasi

Lula nomeia 5 para inteligência; GSI deve ficar com general e com Abin para agradar a militares

Equipe econômica terá autonomia, mas eu que fui eleito, diz Lula

Em jantar com senadores, Lula confirma Dino na Justiça e Múcio na Defesa


Lula nomeia 5 para inteligência; GSI deve ficar com general e com Abin para agradar a militares

Cinco agentes e policiais federais foram nomeados nesta sexta-feira, 2, para o grupo de trabalho de inteligência do gabinete de transição. São dois nomes ostensivos – o delegado da Polícia Federal Andrei Augusto Passos Rodrigues e o agente da corporação e pesquisador Vladimir de Paula Brito – e três secretos. O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva deve manter a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) sob o guarda-chuva do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), para o qual pretende nomear o general de divisão da reserva Marco Edson Gonçalves Dias, o G. Dias, que coordenou a segurança do petista na campanha eleitoral. A ideia é evitar atritos com os militares, área sensível ao PT.

A medida desagrada aos funcionários de carreira da Abin, que desejavam a volta do órgão para a Secretaria de Governo, onde esteve durante o governo de Dilma Rousseff (PT). Também pretendem que a agência seja dirigida por um agente de carreira, já que no governo Jair Bolsonaro ela esteve sob o comando de delegados da PF, entre eles Alexandre Ramagem, amigo da família do presidente e recém-eleito deputado federal pelo Rio. O grupo foi o último a ser nomeado no gabinete de transição.

leia a íntegra da matéria >>> Lula nomeia 5 para inteligência; GSI deve ficar com general e com Abin para agradar a militares – Estadão


Equipe econômica terá autonomia, mas eu que fui eleito, diz Lula

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje (2) que o ministro responsável pela economia terá a autonomia necessária, mas é preciso lembrar que ele foi o eleito e que o governo tomará decisões que beneficiem os mais necessitados.

“As pessoas têm que saber que ganhei essas eleições para governar para as pessoas mais humildes desse país”, disse Lula na primeira entrevista coletiva que concedeu na sede do governo de transição, no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília, desde que foi eleito. Em virtude disso, o presidente afirmou que as maiores decisões na área econômica terão sempre sua participação.

Uma das medidas destacadas por Lula na área econômica como inegociável é o aumento real do salário mínimo atrelado ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), política que já vigorou nos governos petistas anteriores. “Não adianta o PIB crescer 10% e o povo não participar disso”, disse o presidente eleito. 

Leia a íntegra da matéria >>>  agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2022-12/equipe-economica-tera-autonomia-mas-eu-que-fui-eleito-diz-lula


Em jantar com senadores, Lula confirma Dino na Justiça e Múcio na Defesa

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse a aliados em reuniões nesta semana que o senador eleito Flávio Dino (PSB-MA) e o ex-ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) José Múcio Monteiro estão garantidos respectivamente no comando do Ministério da Justiça e no da Defesa. O petista falou sobre os dois cargos em pelo menos dois jantares no últimos dias, um feito na terça-feira, 29, com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, e o outro realizado nesta quinta-feira, 1º, na casa da senadora Kátia Abreu (PP-TO).

Dino já era tratado como garantido em um ministério pelo próprio petista ainda durante a campanha eleitoral. Em setembro, o agora presidente eleito havia dito: “Flavio Dino que se prepare. Vai ser eleito senador, mas não será senador muito tempo porque vai ter muita tarefa nesse País”. O ex-governador do Maranhão já tem cumprido um agenda de ministro e participado de reuniões cotidianamente com Polícia Militar, Polícia Federal e secretários estaduais de Segurança Pública, além de acompanhar Lula em reuniões com ministros do STF. Além dele, o PSB tenta emplacar a indicação de Márcio França para o Ministério das Cidades. O partido avalia que Dino, que era do PCdoB até ano passado, é da cota pessoal de Lula e não indicação do PSB.

Leia a íntegra da matéria >>>  www.correiobraziliense.com.br/politica/2022/12/5056370-em-jantar-com-senadores-lula-confirma-dino-na-justica-e-mucio-na-defesa.html

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!

Moderação de comentário está ativada. Seu comentário pode demorar algum tempo para aparecer.