Aparelhos de ar-condicionado com a nova classificação de eficiência energética estabelecida pelo Inmetro.

0
851
@iei-brasil.org

Mercado brasileiro avança na tecnologia e oferece mais aparelhos com compressores inverter

Já estão disponíveis para os consumidores 218 modelos classificados como A pela nova etiqueta de eficiência energética do Inmetro
 

O consumidor mais atento já pode encontrar no mercado aparelhos de ar-condicionado com a nova classificação de eficiência energética estabelecida pelo Inmetro. São 218 modelos de até 36 mil Btu/h fornecidos com a tecnologia inverter, que consomem menos energia elétrica e, portanto, conseguem alcançar a classe “A” (mais eficientes). Esse volume corresponde a 91% dos modelos disponíveis do mercado. Apenas 6 modelos ainda são não-inverter (aparelhos com compressor de velocidade fixa, chamados de on-off).

“Entendemos que a nova etiqueta estabelecida pelo Inmetro é grande responsável por estimular que os fornecedores passassem a fornecer mais modelos inverter, isso porque o nível para classificar o produto na classe A da etiqueta tornou-se mais rigoroso, de modo que somente produtos inverter teriam condições de alcançá-la”, analisa Danielle Assafin, analista e coordenadora do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) para condicionadores de ar.

Na etiqueta antiga, essa proporção era de 80% (218 modelos) para aparelhos on-off e apenas 20% (56 modelos) com tecnologia com compressor de velocidade variável (inverter). Ou seja, nos 18 meses dados pelo Inmetro para que a indústria brasileira se adequasse aos novos padrões (Portaria nº 234, de 29 de junho de 2020), observou-se que os fornecedores priorizaram por oferecer produtos classe A aos consumidores.

“Essa nova configuração do mercado é extremamente benéfica para o consumidor que passa a ter mais opções de produtos mais eficientes. Essa maior concorrência entre os produtos de classe A também colabora para o equilíbrio de preços, melhorando para o consumidor a relação custo/benefício na aquisição desses aparelhos, assinala Danielle Assafin. “Lembramos que produtos mais eficientes consomem menos energia elétrica mês a mês e impactam na redução da conta luz dos brasileiros”, completa.

Portfólio de modelos até 36 mil Btu/h
  ENCE antiga ENCE nova
Inverter 56 218
20% 91%
On-off 218 6
80% 3%
Total 274 216


Impactos da nova etiqueta

 
Danielle Assafin destaca, ainda, que essa nova configuração do mercado evidencia a relevância da Etiqueta Nacional de Consumo de Energia (ENCE) como indutora do avanço tecnológico da indústria. “Entendemos que a nova etiqueta estabelecida pelo Inmetro é grande responsável por estimular que os fornecedores passassem a oferecer no mercado mais modelos inverter”. Isso porque, justifica, o nível para classificar o produto na classe A da etiqueta tornou-se mais rigoroso, de modo que somente produtos inverter teriam condições de alcançá-la.
 
Para além dos ganhos para os consumidores, de forma mais abrangente, o menor consumo de energia elétrica por parte dos condicionadores de ar mais eficientes tem importante contribuição para o setor elétrico brasileiro por reduzir a demanda energética. Também impacta positivamente o meio ambiente por ajudar na redução de emissões de gases de efeito estufa, especialmente nos horários de pico, quando são acionadas fontes mais poluentes (como as termoelétricas) para a geração de energia. 
 

Fonte:https://www.gov.br/inmetro/pt-br/centrais-de-conteudo/noticias/mercado-brasileiro-avanca-na-tecnologia-e-oferece-mais-aparelhos-com-compressores-inverter – @28/01/2023

@inmetro

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!