Inmetro reúne com associações e empresas para debater a regulamentação de carregadores de veículos elétricos no Brasil

0
143
(Reprodução/Quatro Rodas)

Inmetro reúne com associações e empresas para debater a regulamentação de carregadores de veículos elétricos no Brasil

Representantes do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) reuniram-se com membros da Associação Brasileira dos Proprietários de Veículos Elétricos Inovadores (Abravei), da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE) e das empresas Chevrolet e WEG Equipamentos Elétricos.
 
O encontro ocorreu no dia 03/06, em São Paulo – SP, e foi motivado pelo reconhecimento da importância da regulamentação do uso de carregadores de veículos elétricos no Brasil.
 
Reprodução Globoplay
A regulamentação ocorrerá após conclusão da Análise de Impacto Regulatório (AIR) pelo Inmetro sobre a matéria, que trará orientações referente a padronização dos medidores de corrente e tensão dos recarregadores e os procedimentos de avaliação da conformidade, visando a segurança de usuários e da sociedade.
 
O coordenador do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBE Veicular), Victor Simão, avalia que o Inmetro está atento ao forte crescimento do mercado de veículos elétricos: “A regulamentação trará maior confiabilidade no momento da recarga desses automóveis. ”
 
Acerca dos estudos preliminares, complementa: “A AIR auxiliará na definição dos ensaios aplicáveis à categoria, computando os custos derivados das avaliações periódicas, assim como irá averiguar a acreditação dos laboratórios”. O pesquisador conclui afirmando que também estão sendo estudadas as práticas e as experiências de outros países no ramo.

Representantes da indústria automobilística, reunidos com membros do Inmetro para discutir a regulamentação dos carregadores de veículos elétricos – Reprodução Globoplay
Pelo Inmetro participaram o diretor de avaliação da conformidade, João Nery, o diretor de metrologia legal, Marcelo Morais, o coordenador-geral de acreditação, Marcos Barradas, o coordenador do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, Victor Simão, o coordenador-geral de articulação institucional, Adriano Mendonça e o pesquisador Marcelo Alves, da Diretoria de Metrologia Científica e Industrial.
 
Fonte: https://www.gov.br/inmetro/pt-br/centrais-de-conteudo/noticias/ inmetro-reune-com-associacoes-e-empresas-para-debater-a-regulamentacao-de-carregadores-de-veiculos-eletricos-no-brasil 15/6/2024

Especialistas defendem debate e soluções técnicas para normas de estações de recarga de veículos elétricos

Com o aumento da frota, o maior problema de segurança é o uso de tomadas que não são adaptadas 

Audiência Pública - Normas de segurança para recarga de veículos elétricos. Dep. Aureo Ribeiro (SOLIDARIEDADE - RJ); Chefe do Departamento de Segurança Contra Incêndios e Pânico do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal - CBMDF, Domingos Márcio Ferreira da Silva e Chefe do Departamento de Segurança e Prevenção Contra Incêndios (DSPCI) do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo (CBPMESP), Max Alexandre Schroeder
Comissão de Defesa do Consumidor debateu o assunto nesta quinta-feira (13) Audiência Pública – Normas de segurança para recarga de veículos elétricos. Dep. Aureo Ribeiro (SOLIDARIEDADE – RJ); Chefe do Departamento de Segurança Contra Incêndios e Pânico do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal – CBMDF, Domingos Márcio Ferreira da Silva e Chefe do Departamento de Segurança e Prevenção Contra Incêndios (DSPCI) do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo (CBPMESP), Max Alexandre Schroeder Bruno Spada / Câmara dos Deputados

Especialistas convidados para discutir normas de segurança para as estações de recarga de veículos elétricos defenderam um amplo debate sobre o assunto e soluções técnicas viáveis. Na avaliação deles, os carros são seguros, mas precisam de padrão de recarga. A questão foi analisada em audiência pública realizada pela Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (13).

O debate foi proposto pelos deputados Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ) e Vinicius Carvalho (Republicanos-SP). Segundo Ribeiro, as edificações brasileiras precisam ser preparadas para atender a demanda crescente de estações de carregamento para veículos elétricos.

Em abril, segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), havia em circulação no País 121,8 mil veículos elétricos do tipo plug-in (100% elétricos e os híbridos que exigem recarga em tomadas). O governo federal estima que a frota de carros elétricos do País vá ultrapassar 1 milhão de unidades até 2030.

O diretor de Infraestrutura da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), Clemente Gauer, defendeu um “ponto de equilíbrio” entre segurança e a nova tecnologia. Segundo ele, o maior problema de segurança atual é o uso de tomadas que não são adaptadas para a recarga de veículos elétricos.

“As pessoas, em vez de usarem uma solução oficial [estação de recarga], vão recorrer a uma solução não oficial, que são as tomadinhas”, disse Gauer. Ele também afirmou que não existem evidências de que o processo de recarga, quando feito em estações seguras, provoque incêndios nos carros.

A mesma coisa foi dita pelo diretor da Associação Brasileira dos Proprietários de Veículos Elétricos Inovadores (Abravei), Rodrigo de Almeida. Segundo Almeida, a probabilidade de incêndio em veículos elétricos pode ser 60 vezes menor do que a de um similar a combustão.

“Nós temos mais de 50 mil veículos 100% elétricos no Brasil, e até hoje não tivemos um único caso de veículo que tenha pego fogo espontaneamente”, disse.

Consulta pública 

Em abril, o Corpo de Bombeiros de São Paulo lançou uma consulta pública para a regulamentação das normas de segurança das operações de recarga de veículos elétricos, que ainda não foi concluída. “É um tema novo que carece de regulações mais específicas pelo mundo”, disse o tenente-coronel do Max Alexandre Schroeder, presente ao debate.

Audiência Pública - Normas de segurança para recarga de veículos elétricos. CEO da BYD do Brasil, Alexandre Baldy
Alexandre Baldy: interesse das montadoras é ter normas seguras – Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

Segundo Schroeder, a necessidade de regulamentação é importante porque o Corpo de Bombeiros já está sendo cobrado pela sociedade para definir padrões de segurança. Além disso, os incêndios em veículos elétricos são diferentes e demandam medidas específicas.

Estudioso do tema há mais de 10 anos, o sargento do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal Rubens Lima afirmou que os incêndios em veículos elétricos são de difícil extinção. Necessitam de grandes quantidades de água, emitem gases tóxicos e jatos de fogo (jet-fire), e ainda têm grande potencial de reignição. Apesar disso, ele avalia que os elétricos são mais seguros do que os tradicionais a combustão.

Lima pediu “um alinhamento” entre as montadoras e os serviços de segurança para chegar à melhor normatização sobre o assunto. “Precisamos de veículos para fazer teste de queima”, sugeriu.

O CEO da BYD do Brasil, Alexandre Baldy, disse que a indústria está disposta a colaborar para definição dos padrões de segurança das estações de recarga. “O interesse de todas elas [montadoras] é ter normas seguras”, disse. Baldy afirmou ainda que as atuais baterias dos carros elétricos leves possuem tecnologia moderna e inovadora, que garante a seg

Agência Câmara de Notícias 15/6/2024

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!