Pedaladas: Ministério Público junto ao TCU recomenda inabilitação de ministro interino do Planejamento

0
438

O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) recomendou nesta sexta-feira a inabilitação do ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, para o exercício de cargo na administração pública pelo prazo de cinco a oito anos, em função das chamadas pedaladas fiscais cometidas pelo governo da presidente afastada Dilma Rousseff no exercício de 2014.

O MP junto ao TCU recomendou igual pena para os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Nelson Barbosa, além do ex-secretário do Tesouro Arno Augustin. Também foi proposta inabilitação para o ex-presidente do Banco Central Alexandre Tombini e para o atual chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel.

Dyogo Oliveira foi secretário-executivo dos ministérios da Fazenda e do Planejamento nas gestões do ex-ministro Nelson Barbosa.

Outros nomes citados para inabilitação foram o do ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Hereda, do ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho, e do ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras Aldemir Bendine.

Agora, o relator do caso no TCU, ministro José Múcio, deverá elaborar seu voto a respeito, que ainda será analisado pelo plenário do TCU.

Crédito: Reuters Brasil – disponível na web 25/06/2016

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome!